quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

365 dias de mergulho


Pulei daquele penhasco num rio cheio de águas turbulentas e por mais que eu tivesse medo de altura e por mais que não soubesse nadar, a sensação de estar ali vivendo algo tão diferente me deixou encantada, mergulhada, afogada e me fez aprender a nadar.
Muitas vezes eu olho para os meus dedos enrugados de tanto ficarem submersos e tenho vontade de pisar em terra firme, me secar, mas geralmente mergulho novamente e vejo a profundidade, a beleza e continuo ali, completamente azul.
Eu não consegui fazer uma lista de desejos para 2012, o meu ano foi tão intenso, foi tão bom e tão ruim... Então vou deixar as águas me levarem, vou continuar mergulhando quando der, nadando quando for preciso e quando eu olhar para os meus dedos eu vou ter a certeza que fiz tudo que podia pra não ter que me secar.
Saúde e muita vida para nós, que insistimos em não enxergar apenas o que está na superfície.

Ps: Quando fui achar uma imagem pra ilustrar o texto que tinha escrito, achei a melhor de todas e tudo fez sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário