sexta-feira, 27 de abril de 2012

As legítimas

A Alpargatas lança em 1962 as Havaianas.


A inspiração veio das Zori, sandálias japonesas feitas de palha de arroz ou madeira lascada e que são usadas com os kimonos. Daí a textura do solado do chinelo, que imita grãos do cereal, em 70 foi lançado o slogan "Não deformam, não soltam as tiras e não têm cheiro".
Em 1994 novos modelos mais modernos e uma publicidade muito bem feita, faz com que os chinelos virem moda, aqui no Brasil. Em 2000 o mundo descobre as Havaianas e até as celebridades internacionais são flagradas usando o produto, são mais de 1 milhão de pares exportados por ano.

domingo, 22 de abril de 2012

Década de 50



O New look é o grande símbolo dos anos 50, junto com a consagração de um nome, Dior!
As cinturas apertadas e as saias volumosas e com muitos metros de tecido do New Look é o retorno ao glamour e o luxo que as mulheres se privaram em épocas de guerra, começa assim, os anos dourados. 

É o do auge das tintas para cabelos, e o uso de maquiagem se torna fundamental. A mulher busca feminilidade, maternidade, casamento, luxo e da riqueza. Novas tecnologias facilitam o trabalho doméstico, assim, as mulheres tem mais tempo para se embelezar e cuidar de seus maridos.
Marilyn Monroe e Brigitte Bardot são os dois grandes símbolos de beleza da década.
Pierre Cardin abre sua loja em 1953, Gabrielle Chanel volta com força total em 1954, e vê difundido e copiado seu tailleur-cardigan, Na mesma época o O francês Roger Vivier lança o salto agulha. Na Itália, Emilio Pucci com suas estampas cheias de cores conquista a Europa e os EUA.

O prêt-à-porter é uma realidade e em 1955, as revistas Elle e Vogue publicam várias páginas falando sobre o assunto, o que sinalizava que algo estava se transformando no mundo da moda. A comercialização de produtos à distância, por catálogos, era muito comum. Isso era possível pelo serviço de Reembolso Postal dos Correios.

A juventude começa a ter opinião própria, se opondo contra a geração mais velha.O rock and roll e o seu ídolo, Elvis Presley, e  no cimena James Dean e Marlon Brando influenciam o comportamento dessa geração colocando o jeans, a camiseta e a jaqueta de couro como símbolo da moda jovem. Havia também moda college, com saias rodadas, calças cigarrete até os tornozelos, sapatos baixos, suéter e jeans.
na Inglaterra, os Teddy-boys usavam jaquetas de veludo colorido e um topete enrolado. Também tinha a geração Beat, estudantes de arte americanos que usavam calças curtas, malhas, sapatos baixos, óculos escuros e preto. A origem do nome Beatles vem do termo beat, a beatlemania de toda uma geração.



O Brasil está em de progresso social, econômico e cultural e começa a se projetar com a implantação e o desenvolvimento da Indústria Automobilística e a criação da Petrobrás. Também é a época da  Bossa Nova e do Cinema Novo.
O Rio de Janeiro dita moda e se espelhando no cinema americano a juventude rebelde com os playboys e seus carros rabos-de-peixe, usando blusões de couro, topetes e camisas coloridas. As mulheres liam e seguiam os conselhos das seções femininas de “O Cruzeiro”; “A Cigarra” e “Manchete. O biquíni faz parte do cotidiano das brasileiras.
A Casa Canadá, representa o luxo e o Glamour da sociedade carioca, que podiam exibir os seus vestidos de luxo nas grandes festas e dos bailes no Copacabana Palace.




Imagens: Reprodução
 PS:Este texto foi pesquisado e escrito por mim. Entenda 

Década de 40


São épocas de guerra!
Paris estava ocupada pelos nazistas.
As saias ajustaram e voltam a encurtar. Calças compridas de corte masculino são muito usada por mulheres que descobrem a praticidade da peça. Casacos tem cortes masculinizados, influenciados por uniformes de soldados. 

Com a falta de matéria prima e até de produtos de beleza a solução encontrada para enfeitar e esconder os cabelos que não andavam muito bem tratados era o uso de turbantes e lenços na cabeça. Os chapéus são ornamentados com flores.A bijoux substitui jóias em épocas de guerra.

 Carmem Miranda fazia as suas próprias roupas e chapéus já que conhecia o ofício de chapeleira trabalhando no La Femme Chic, de Madame Boss,  depois de uma visita à Bahia adota o estilo baseado cultura tropicalista, e ganha projeção internacional, sendo a mulher que mais ganhou e pagou impostos nos Estados Unidos na década de 40.A maquiagem de Carmem era imitada pelas mulheres e as plataformas usadas por ela também viraram moda, até porque demorava muito mais para estragar o solado. 
Faltava tudo! A roupas antigas eram recicladas por causa da escassez de tecidos, as cortinas eram a solução para a confecção de roupas. As mulheres emagrecem pela falta de alimentos e vão para o mercado de trabalho, já que os homens estavam na guerra.
Os tecidos sintéticos como a viscose, o raiom são muito utilizados. Com a produção de nylon destinada à fabricação de pára-quedas, as meias finas ficam escassas no período. A solução é pintar as pernas com pastas e desenhar com lápis a costura das meias.

Com o declínio da Alta Costura, e os alemães querendo levar as maisons para Berlin e Viena, o estilista francês Lucien Lelong, presidente da câmara sindical, luta  relatório pela  permanência em Paris.
1944 com o fim da guerra, os soldados retornam trazendo de presente meias de nylon, e
o perfume Chanel nº 5.


 Foi criada uma exposição de moda em 1945 para impulsionar a Alta Costura parisiense, em Como não havia material suficiente para a produção de modelos luxuosos, a solução foi vestir pequenas bonecas, com as peças criadas por grandes nomes da alta-costura francesa.
Dior em 1947, com suas saias amplas com muitos metros de tecido, a cintura apertada e chapéus grandes, espanta com seu “new look” a sombra dos tempos de guerra.

Imagens: Reprodução
PS:Este texto foi pesquisado e escrito por mim. Entenda 

quinta-feira, 5 de abril de 2012