quarta-feira, 16 de março de 2016

1900

Conhecida como Belle Époque, na França e Eduardiano (Eduardino) em Londres, 1900, marca um período de evolução cultural e tecnológica. Início do século XX, a revolução industrial muda os hábitos da sociedade, muitos dos que viviam no campo agora trabalham na indústria.

Em 1900, o magnata do petróleo Henri Deutsch de La Meurthe oferece um prêmio de 50 mil francos para o primeiro homem que voasse em torno da Torre Eiffel. Santos-Dumon perde por 10 segundos. A multidão grita “Dê a ele o prêmio! Vive le petit Santos!”  Duas semanas depois, é declarado vitorioso, Santos-Dumont recompensando ​​seus trabalhadores com metade do prêmio e dá os restantes 25 mil francos para os pobres de Paris.
A indústria do divertimento ganha força, cabarés, parques de diversões, cinemas. A eletricidade permite que as pessoas fiquem até mais tarde nas ruas.
                                                                                    1900- Táxis em Paris

Surge o cinema, automóvel, bicicleta, avião, telegrafo…a Belle Époque é cheia de novidades!
 A moda tem um papel fundamental,  afinal as pessoas querem ver e ser vistas. A alta sociedade exibe as suas belas vestes. A casa Worth e Redfern, exibem nas vitrinas o sonho de consumo das mulheres, o preço apenas para uma pequena camada da sociedade, porém, as costureiras imitam o que veem. Todo mundo quer estar na moda!
                                                                      Casa Redfern, 1900, Paris- Alta costura

Para  se diferenciar das empregadas, os uniformes pretos são adotados.
No início de 1900, para ser considerada de bom gosto, a moda necessita do uso de cores pastéis, leves e suaves. Estampas e apliques florais, flores nos chapéus, flores!
  Mulheres com cinturas marcadas extremamente marcadas, chegam a 40 cm nos corseletes fazia com que o peito fosse pra frente e o bumbum para trás, formando a silhueta em forma de “s”.
O espartilho não permite movimentos amplos, as mulheres vivem engessadas, quase imóveis.

Chapéus! Grandes e cheios acessórios, necessitam ser presos por muitos grampos, os cabelos volumosos e penteados, sempre com cabelos cacheados, muitas vezes tinham o auxílio de perucas e apliques para ganhar o tamanho necessário.


As mulheres mais comuns não usam espartilhos tão apertados e as saias são mais curtas para não enroscar nas bicicletas e bondes e também para não sujar, arrastando pelos centros urbanos.
 Ruas de Paris
Sapatos são bem característicos, abotinados, com botões, e salto grosso.
 Os trajes masculinos não dispensam o chapéu, tipo cartola,  sobre-casaca, fraque, o colarinho em linho branco engomado e muitos sapatos. Os relógios de bolso não podiam faltar.

A palidez na era vitoriana é fundamental, a maquiagem é usada para parecer ainda mais branca e mais frágil. Alguns produtos naturais como clara de ovo e limão ajudam a deixar a pele mais clara e hidratada. Cosméticos a base de arsênico também clareiam a cútis.
                 Lucy Weston , atriz
Na Belle Époque  a pele branca ainda é considerada a ideal, porém ganha uma pitada de cor! Tons amarronzados , arroxeados e amarelados, misturados com talco, dão leves colorações nas bochechas e olhos. As cores fortes são usadas por atrizes e cortesãs.
Nos dentes é usado um pó dental  (antepassado da pasta de dente).
 Com a revolução industrial, a industria de cosméticos cresce muito, pós de arroz, rouge, cremes anti rugas, anti sardas, balms labiais e perfumes são vendidos em catálogos. Em 1909 a Selfridges, vendo o sucesso dos cosméticos, coloca- os na vitrina.

        catálogo de perfume e cosméticos 1898

Imagens: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário