quarta-feira, 16 de março de 2016

Pés nas alturas! A história do salto alto

Como sempre, tudo começa no Egito. Sapatos de solado alto, foram vistos em túmulos egípcios que datam de cerca de 4.000 aC. Também os açougueiros egípcios usavam um sapato com solado maior para manter os pés longe do sangue das carnes.



Nos teatros da Grécia Antiga, os atores de papéis importantes e nobres se destacavam usando sapatos com solados mais altos com sola de madeira ou cortiça. A prática foi adotada em 200 aC pelos romanos, que as chamaram de kothorni. Na renascença o “kothorni” foi chamado de coturno.
Na Roma antiga, o sapatos de salto alto eram usados para identificar as prostitutas.
Em 1300, no Oriente Médio, o salto de madeira foi decorado com marfim e usado em casas de banho públicas para proteger os pés contra do calor e umidade do local. Como ao andar o som emitido era de “aplausos”, o nome recebido foi  kabkab, eles eram decorados em madrepérolas e prata. Nas casas de banho, homens usavam uma versão do Kabkab sem enfeites.


Na idade Média, para proteger da sujeira das ruas e dos excrementos humanos, homens e mulheres adotaram sapatos com solados bem altos em madeira, tipo um tamanco.

 Em 1400, o chapim, ou sapatos de plataforma, foram usados na Turquia. Na Europa foram chamados de chopines, a plataforma chegava a mais de 50 cm de altura, alguns relatos dizem que as cortesãs de Veneza começaram a usar e só depois a nobreza adotou o calçado, porém acredito mais na segunda versão que começa na nobreza e as cortesãs para se vestirem como as mulheres de classe alta, adotam as chopines.
As mulheres elegantes da riqueza de toda a Europa foram vistas lutando para andar em chopines apoiadas por servos ou homens de cavalaria. Extremamente desconfortáveis, limitavam o andar e eram até perigosas. As mulheres, de certa forma, ficavam submissas, com movimentos restritos, à exemplo dos sapatos de lótus das chinesas. Concubinas chinesas e odaliscas turcas usavam sapatos altos ​​não só por razões estéticas, mas também para impedir as mulheres de escaparem do harém .


Elas literalmente ficavam acima das outras pessoas, mostrando poder, quanto maior a chopine, maior o nível social. No renascimento a Chopine chegou em seu ápice, se tornando popular.
No século XV, na  Espanha, a maior parte do abastecimento de cortiça do país ia para a produção dos sapatos. Chopines espanholas eram feitas de cortiça, enquanto chopines italianas eram feitas de madeira. Mulheres espanholas usavam saias acima de suas chopines,  que eram feitas com  materiais  luxuosos



Mulheres venezianas escondiam as enormes chopines de madeira por baixo dos vestidos, alongando assim as suas saias.



Em 1500, os sapatos começaram a ter divisão no de salto e não aquela única plataforma da chopine.
Catherine de Medici, por ter estatura pequena, mandou confeccionar sapatos com salto para o casamento com Henrique II, da França. Quando chegou em Paris com os sapatos de salto a aristocracia tratou de copiar a novidade.  

Em 1670, uma lei do Parlamento proibiu muitos apetrechos para as mulheres casadas, incluindo dentes artificiais, maquiagem, perucas e as chopines. A punição resultou em divórcio, tortura e até mesmo execução.
1700, o rei Luís XIV da França adota os saltos de 5 centímetros. Ele decretou que apenas a nobreza podia usar saltos e nenhum salto poderia ser maior do que o dele. No rococó,os saltos afinaram e ficaram maiores.
Em 1791, Napoleão baniu salto alto para mostrar a igualdade. Em 1860, o salto volta a se tornar popular, a invenção da máquina de costura permitiu uma maior variedade de sapatos. Na era vitoriana pés pequenos e a curva que o salto alto provocava nos pés eram símbolo de beleza e sensualidade.


Nos anos 20 o salto estilo Luís XIV foi usado pelas mulheres.

Em 1930, com a crise, os saltos ficaram mais pesados e largos.

Em 1940, época de guerra, os saltos continuam grossos, porém mais altos, acredito que para ter mais durabilidade. Carmem Miranda lança moda com suas plataformas.

 Em 1950 o designer de sapatos Roger Vivier junto com Dior, criam o salto stiletto. os sapatos com salto extremamente fino e bico que estreitavam os pés. Stilettos foram muitas vezes proibidos de edifícios públicos, porque eles causaram danos físicos aos andares.

 Em 1960 os saltos voltam a ficar mais quadrados e baixos, dando mais liberdade para as mulheres.

Em 1970 a plataforma no estilo chopine volta a moda.


 Em 1980 os saltos voltam a afinar, as mulheres estão ganhando poder e o salto volta a ser símbolo de status.

 Designers ajudaram a criar os saltos muito altos da década de 1990, como Jimmy Choo e Emma

 Princesa Diana usando Jimmy Choo


A versão contemporânea da chopine foi usada por Lady Gaga, este foi criado pelo designer Noritaka Tatehana.



Imagens: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário