quarta-feira, 16 de março de 2016

O que que a baiana tem?

Uma mulher visionária, que desenvolveu o seu próprio estilo na época que surgia uma ferramenta muito importante, a TV!

Maria do Carmo Miranda da Cunha nasceu em  9 de fevereiro de 1909 em Marco de Canaveses, Portugal.
Carmen que veio apenas com 10 meses para o Rio De Janeiro, ganhou este apelido aqui no Brasil, por seu tio materno comparar a sua aparência à uma espanhola personagem da ópera de Bizet.

Carmen Miranda ao lado da estátua de Nipper, cão mascote da gravadora RCA Victor (Rio, 1929)
A menina começou a trabalhar cedo, aos 15 anos, como balconista em uma loja de gravatas, e aos 16 foi trabalhar na loja La Femme Chic, onde aprendeu a fazer chapéus, roupas e a cuidar melhor de sua aparência. Os clientes adoravam ver a moça que vivia cantarolando com a sua bela voz.
 Em 1925, a mãe de Carmen abriu uma pensão na Travessa do Comércio, frequentada por sambistas como Pixinguinha, trazendo Carmen ainda mais para o universo musical.  A moça que cantarolava o tempo todo, chamou atenção do deputado  Anibal Duarte que à apresentou para  Josué de Barros, e este a introduziu nos festivais e rádios, nessa época ela gravou um disco, mas o sucesso veio mesmo no segundo, com a música “Pra você gostar de mim” (Taí).

A Pequena notável,  com 1,52 de altura, achou um jeito de ficar maior, usando sapatos com solados enormes, resistentes e que davam conforto para dançar, em 1934, Carmen encomenda à um sapateiro do Catete os sapatos plataforma.
 
Inspirada em sua visita  à Bahia, se apresenta no Casino da Urca apostando em um estilo tropicalista,  roupas cheias de cores e babados, chapéus com frutas  e turbantes ( Confeccionados por Carmen Miranda), muitas bijuterias e os balangandãs da Baixa do Sapateiro, de Salvador.
 Na platéia estavam o astro de Hollywood Tyrone Power e sua noiva Annabella, a partir daí o estilo de Carmen é imitado, e por mais que fosse muito criticado por aqui, chamou atenção dos americanos, que a chamavam de  “Brazilian bomb shell”.
Em uma época em que a cultura brasileira se americanizava, Miranda surge com um estilo próprio, incomparável.
A maquiagem foi muito importante para a composição de sua personagem! Sorriso largo e a piscadinha são simbólicos.
A sua boca grande e vermelha, sobrancelha marcada em arco,  nos olhos cílios postiços e delineador, davam ainda mais expressão a seu rosto.

Os Estados Unidos em crise com a quebra da bolsa de 1929 e a guerra de 1940, começa a fazer uma política de boa vizinhança com os países da América Latina, o Brasil governado por Getúlio Vargas passa a ser o principal instrumento dessa política.
A presença mais visível deTio Sam no Brasil decorreu de uma multiplicidade de fatores e circunstâncias e reproduziu-se desde então mediante uma complexa teia de conexões estabelecidas nos planos econômico, político-diplomático e cultural, tanto ao nível derelações interestatais como intersocietais (…) (MOURA, 1988, p.86).
É criado o Zé Carioca por Walt Disney e Carmen vai para os EUA, onde participa de muitos filmes em Hollywood e festivais na Broadway. Foi a mulher que mais ganhou e pagou impostos nos Estados Unidos na década de 40.

A prova do sucesso de Carmen Miranda era as vitrinas das luxuosas lojas da Quinta Avenida, substituírem Chanel e Dior pela roupa completa de baiana e seus balangandãs.
 A pequena Notável é única mulher luso-brasileira a ter os pés na calçada da fama em Hollywood.

Carmen Miranda faleceu em los Angeles aos 46 anos, em 5 de agosto de 1955.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário