quarta-feira, 16 de março de 2016

Max Factor

Por trás de boa parte da maquiagem como conhecemos hoje existe um nome MAX FACTOR.
Nascido em Lodz, Polônia em 1877, ainda menino foi ser assistente do boticário da cidade, mais tarde, aos 9 anos ele foi aprendiz do mais prestigiado fabricante de perucas e cosméticos de Lodz. Ingressou na equipe de Anton de Berlim e acabou trabalhando para o Czar Nicolau II, quem trabalhava no império Russo não podia se casar, mas um dia ele encontrou um amor, se casou escondido e teve filhos. quando a situação ficou insustentável, ele fugiu para os EUA.
No navio conheceu um sócio, os dois participaram de uma feira e venderam muitos cosméticos, porém o sócio se foi levando tudo. Max com o golpe, resolveu trabalhar com algo que ele entendia bem e abriu uma barbe Teatro em 1900
As peças de fototeatro estavam começando e Max estava desiludido, pois, seu irmão havia aberto uma barbearia ao lado da dele , resolveu se  mudar para Los Angeles para oferecer perucas e cosméticos para os atores.
                                                                                                     1914
Começam os primeiros filmes, Max ofereceu as suas perucas e apliques, inicialmente foi recusado, porém o diretor resolveu testar e fez muita diferença no realismo dos filmes, Max tratou de fazer uma parceria locando as perucas e barbas, seus filhos eram encarregados de cuidar as peças, chegando até a fazer pequenas participações em alguns filmes.
Já conseguindo ganhar um dinheiro e percebendo que os atores se maquiavam com uma mistura de vaselina e  farinha, banha e maisena e até tijolo, Max vai para o laboratório improvisado começar a desenvolver cosméticos para o cinema, percebendo que a maquiagem para o vídeo teria que ser diferente das misturas pesadas que usavam no teatro, desenvolvendo cosméticos exclusivos que permitissem ter expressões faciais e não rachar com um ar mais natural. Era uma espécie de base em creme, flexível, que foi desenvolvida em 12 tonalidades, o primeiro a usar foi Henry B. Walthall em 1914. Além de suas criações ele vendia em sua loja, duas famosas marcas de cosméticos, Leichner (maquiagem em bastão) e Miner.
                                                                                         Henry Walthall
Os atores e diretores se apaixonaram pelas técnicas de Max, que se tornou peça chave na indústria de cinema, cada estrela, vilão, mocinho e até os animais passavam pela mão do Max Factor. As luzes derretiam as pomadas labiais, para resolver isso Max pressionou os polegares no lábio superior e no lábio inferior da atriz , nascendo os lábios “picados por abelha”. Rodolf Valentine um ator coadjuvante, dançarino de aluguel passou pelas mãos de Max e ser tornou Rodolfo Valentino.
                                                                                           Rodolfo Valentino
                                                          Maquiagem devenvolvida para TV em Preto e Branco

Phyllis Haver atriz cômica, procurou Max, pois queria papéis dramáticos, ele  então criou cílios feito de cabelos humanos, e ela se tornou um sucesso nos dramas e os cílios também viraram febre nos estúdios, nesta época ele também criou um fluído clareador para a pele.
                                                                                               Phyllis Haver
Em 1918 ele criou a Color Harmony, linha desenvolvida especialmente para as telas que harmonizava os tons de cabelo e maquiagem, até então só haviam 3 tons de pó, Max criou 11 tonalidades. A base em bisnagas, também foi idéia dele. Na época o termo “make up” não era bem visto, porém Max o colocou na fachada de sua loja ” Casa da maquiagem, e com isso as mulheres comuns começaram a usar o termo maquiagem. As estrelas de cinema influenciavam as mulheres da época e foi lançada a linha de maquiagem para consumidoras em geral em 1920.
                                                Tabela de cores de maquiagem de acordo com a cor dos cabelos.

A cada evolução da tecnologia dos filmes, ele tinha que refazer toda a linha de cosméticos, estudar matérias primas que dessem os resultados desejados em seu laboratório, Em 1928 foi lançado o filme pancromático, e a maquiagem desenvolvida por Max para este tipo de filme foi tão importante que o Oscar de maquiagem foi introduzido e obviamente ele recebeu o prêmio.
                                                                                Corretivo em bastão

Ele também foi responsável por transformar a atriz Jean Harlow, loira natural em uma loira platinada para o filme Hell´s Angels. Max era muito mais que um maquiador, ele era um cientista da beleza , que entendia como ninguém de formas e harmonia e transformava simples atrizes em divas, atores em ícones.
 Max ficou muito famoso montou uma loja a altura de sua fama em 1935, contratou o arquiteto S. Charles Lee, que montava salas de exibição de cinema para projetar sua loja nova. A festa de inauguração foi disputadíssima e todas as estrelas de Hollywood compareceram ao evento. A loja foi idealizada com salas exclusivas que mostravam o conceito Color Harmony, uma para loiras, outra para morenas, ruivas e castanhas as ” brownettes”.
Maquiagem desenvolvida para TV branco e preto.


Max criou Calibrador de Beleza em 1932 que mostrava medidas de um rosto perfeito, para ele aplicar as correções e em 1940 uma máquina do beijo foi criada pela família Factor para testar o batom de longa duração Tru- Color.
                                                                                      Calibrador da beleza
Em 1937 ele lança um produto para ser usado em filmes coloridos, o Pan Cake, uma mistura de base e pó que ocultava imperfeições. O Pan Cake  foi usado no elenco do filme “Vogues of 1938″, e fez tanto sucesso que as mulheres no estúdio  roubavam o produto para uso pessoal. Ao ser lançado para as consumidoras, foi uma febre, recorde total de vendas, e muitas imitações foram lançadas.
                                                                                             Pan Cake
Margarita Cansino, se tornou a Rita Hayworth e a sexy Gilda, pelas mãos do Max. Marlene Dietrich usava ouro nas perucas da Max Factor para brilhar mais, tinha um técnico responsável para tirar o ouro em pó e usar novamente.
                                                                                          Rita Hayworth
Elizabeth Taylor usou aplique feito por Max Factor no  filme A mocidade é assim mesmo de 1944.
                                                                                             Acervo MGM
A Max Factor foi responsável por itens que usamos até hoje como o delineador, contorno labial, gloss, o rímel na embalagem que existe até hoje e a embalagem retrátil de batom.

                                                                                            Max Factor 
Dedico esse texto a amiga Carol Campos que me emprestou o livro Max Factor- o homem que mudou as faces do mundo de Fred E. Basten.
Imagens: reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário